Acorde Diminuto

Acorde diminuto ascendente e descendente

Outra possibilidade, e também talvez seja a mais utilizada, é tocar o acorde diminuto afim de explorar o efeito da aproximação cromática. Diante disso, o acorde diminuto costuma ser tocado um semitom pra cima ou pra baixo do acorde que se quer resolver, sendo chamado, respectivamente, por diminuto descendente e também diminuto ascendente.

Beleza, porém vamos poder aplicar o diminuto ascendente e também diminuto descendente afim de resolver em todo acorde maior ou menor? Bom, na teoria sim, porém na prática nem sempre isso irá empolgar muito. O diminuto descendente não atua com função dominante, porque não tem o exato trítono do acorde G7, o oposto do diminuto ascendente.

Talvez você tenha ficado confuso agora, enfim nós já afirmamos que o acorde diminuto tem 2 trítonos, portanto já que o diminuto descendente não atua com função dominante? Por fim este ainda tem 2 trítonos!

Bom, somente relembrando, o significado para trítono se alude a uma urgência da solução. Enquanto tocamos um trítono, surge a urgência de que este intervalo "tenso" se resolva, e também a solução esperada é fazer o conjunto de nota desse trítono se transferir um semitom.

A título de exemplo, o trítono do acorde G7 está entre as notas Fá e também Si. Enquanto a nota Fá caminha um semitom abaixo insignificante, vira Mi, e também enquanto a nota Si caminha um semitom pra cima, vira Dó. Desse modo, o acorde aguardado pra resolver essa tensão é o acorde do Dó, que contém essas duas notas encontradas (Mi e também Sol, terceiro e também quinto graus do acorde, respectivamente).

Se o acorde G7 resolvesse em outro acorde que não fosse Dó, teríamos uma solução deceptiva. Até cá, nenhum conceito novo.

Agora, imagine que uma música está na tonalidade de Si maior e também aparece uma sequência de acordes G7 - F#7 - B. Diante disso, o acorde F#7 é o dominante que resolveu em Si maior, ao passo que o acorde G7 atuou parecendo um acorde de aproximação cromática.

Não estaria incorreto expressar que G7 era um dominante que teve solução deceptiva, porém sua função principal nessa música seria o efeito da aproximação cromática, até porque a solução esperada de G7 é Dó maior, que não pertence à tonalidade do Si maior. Isto é, não faz bastante sentido focar em G7 como dominante que estava iniciando uma modulação e também sofreu solução deceptiva se este proporcionou outro efeito para a música independente desse.

A mesma coisa ocorre com o diminuto menor. Os trítonos do acorde diminuto descendente não resolvem exatamente a mesma forma

que o acorde V7, então, o diminuto menor completa tendo unicamente a função cromática, e também isso faz com que sua utilização nem frequentemente fique aprazível.

Iremos examinar agora essas duas abordagens ( diminuto ascendente e também descendente ) e também entender quais são mais utilizadas enquanto o acorde que se quer resolver é maior ou menor.